Pixel ID
Question Everything .is/listening
Written by Joana Rita Sousa / 24.09.2018

Um cabaz de artigos: inclui humanos, máquinas e tipos de fonte

“O chefe recomenda para hoje” um pouco de tudo, numa mistura de fontes de letras, confitada com pensamentos sobre a relação dos humanos com as máquinas, em cama de ficção que se tornou realidade. Confusos? Bom, a verdade é que de cozinha percebo pouco e vai daí admito ter escrito algo sem qualquer sentido.

Vamos ao que interessa: a curadoria de artigos da #teamactivemediapt, para ler num momento de pausa, de aprendizagem ou de procrastinação.

Fontes, fontes e mais fontes

É neste cruzamento entre pesquisa e desenvolvimento de tipografias e o avanço das tecnologias de armazenamento, compressão e visualização online que surgiram as Variable Fonts (ou Fontes Variáveis). Basicamente e para que seja fácil de entender, as Variable Fonts são o cruzamento entre um tipo de letra e um sistema, resultando num tipo de letra que é simultaneamente um sistema que podes modificar.

 

O hábito faz o monge?

Os hábitos fazem parte da nossa vida quotidiana. São fundamentais para que consigamos viver e lidar com todas as solicitações que temos, ao nível da tomada de decisão:

 

O melhor de todo este estudo é conseguirmos perceber que um hábito, depois de enraizado, torna-se fácil de seguir e nem pensamos muito sobre o assunto – da mesma forma que colocamos o pé esquerdo depois do direito para não cair.

Ao perceber isto, torna-se importante termos consciência nossos hábitos, aqueles que “fazem parte de nós” e, avaliar se, não vale a pena mudá-los para novos hábitos, criando um novo “eu”. Na nossa vida prática podemos usar este conhecimento para criar novos hábitos ou mudar antigos porque, aquilo que no início vai custar bastante, com consistência e resiliência vai acabar por se tornar rotina e o novo “normal”.

 

As máquinas e os humanos

O filósofo André Barata partilha connosco algumas questões pertinentes no que respeita à relação dos humanos com as máquinas, no futuro.

Acontece que no presente, no aqui e agora, temos outras questões para pensar. Urgentes, tendo em conta que na China há já um sistema de social credit em curso. Parece mesmo um episódio de Black Mirror, “ao vivo e a cores”.

 

 

Temos, ainda, mais um link para partilhar e com o qual nos deparámos a propósito daquelas imagens que nos deixam a pensar “de que cor é o vestido?” – recorda-se disto? Aqui fica uma ferramenta que nos ajuda nestas questões.

Follow me!